The Next 100 Years: George Friedman – YouTube

The Next 100 Years: George Friedman – YouTube.
Ouvir e voltar a ouvir

Depois de ouvir isto, qual o sentido da energia imensa despendida em acusar uns poucos de políticos dos males que se passam na nossa sociedade, Não podemos compreender????
Ele tem razão: “A História não é imprevísivel como se pensa”; não, não é.
Perante esta realidade podemos saber o que nos resta fazer
1. Espalhar, difundir e manter os estudos da cultura Europeia, da Antiguidade, enfim, da Europa e da Civilização. Perceber o que significa a indução à separação e divisão na Europa !!! Alcançar em vez disso, uma paz mais profunda, a outro nível, com mais conhecimento.
2. O sonho de Joaquim de Flora,

Father António Vieira, by unknown artist of th...
Father António Vieira, by unknown artist of the early 18th century. (Photo credit: Wikipedia)

etc, não implica uma separação na Europa: implica um Império de Paz, do Espírito Santo.
(eu sei eu sei — porém não se esqueçam: o que não é possível aso homens, é possível a Deus)
3. Os EUA vão-nos impedir de fazer o nosso projecto? Não. Porquê?
2.a) é um projecto espiritual de inspiração e cerne cristão
b) é um projecto culto, sendo uma Universidade, um dos seus objectivos
c) é um projecto inteiramente pacífico. Não queremos a morte de ninguém. Recusamo-nos a qualquer barbaridade ou violência feita em nome do objectivo de Paz divina que queremos alcançar.
Apenas um grupo de pessoas que quer viver segundo os princípios ensinados pelo mestre Jesus: “dai, e tudo será puro para vós.”. O Reino de Deus que é possível na terra, um pouco mais justo, um pouco mais espiritual e perto de Deus que é Bondade Verdade Beleza. A nossa luta é antes de mais espiritual.
Não propagamos o ódio, e sim a compreensão e compaixão.
A ninguém passaria pela cabeça proibir a cidade de Auroville, Índia, criada  com o mesmo objectivo pacífico, mas segundo o guia espiritual Shri Aurobindo.
d ) é um projecto artístico
f ) é um projecto de caridade

Uma das nossas bases é compreender que o que Deus nos dá todos os dias, é de novo, o Paraíso.
Como Swedenborg explia — e isto é, evidentemente uma das grandes limpezas a fazer no Cristianismo, o pecado em que vivemos, não é por cuasa do pecado de Adão e Eva, como falsamente têm ensinado todas as Igrejas Cristãs até agora!

Esse ensinamento em si mesmo é um pecado. Porquê? Porque implica a não compreensão espiritual dos ensinamentos de Jesus:
1 – em primeiro lugar,  o dilúvio significou a limpeza na terra do pecado de Eva e Adão – (que são uma Igreja e uma raça, não pessoas). O pecado que se prolonga, é por nossa causa, que o repetimos. De pais para filhos, e ao longo das gerações. Precisamos parar de o fazer. E as forças do mal progressivamente terão menos força sobre nós.
2 – o próprio Mestre Jesus – oh amor! – diz: “sede perfeito”. Diz que é possível tornarmo-nos como criancinhas de novo, e filhos de Deus. E tanto ele como João Baptista explicam como fazê-lo. É preciso arrependimento, sincero, profundo e real, e Deus perdoa.
Ora não podemos negar o que o próprio Deus declara, negando o seu perdão e a sua ajuda.

Deus dá-nos o paraíso, Natureza e uma imensa capacidade para uma vida feliz – trabalho, muito trabalho, desafios, tudo pode ser feito na paz. E a única luta é com nós próprios. O amor-próprio, os interesses próprios em vez do amor ao próximo, onde se cria justamente o amor que também precisamos para nós próprios, mas que é o amor divino.
Há outras ideologias que lutam contra esta simplicidade que nada tem de inguénuo. Basta para isso ler Swedenborg que de ingénuo nada tinha.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s