E mais sobre esta história estranhíssima do Graal

E lá está mais uma página desta coisa do “Graal”.
(Internacionalmente chama-se Grail, e não “Graal, que é a palavra holandesa)
Quando vejo, as pessoas que em Portugal se envolveram, fico abismada:
Coordenação do Graal.

Porque na Holanda, o país das Associações e Fundações, este “movimento” consiste numas poucas de senhoras velhinhas que se encontram em Utrecht de vez em quando.
Dá-me a ideia de pura fraude, mas posso estar enganada, ainda.

 

?!
50 anos do Graal em Portugal
Graal | Projectos
The Netherlands
index
index1
index1
(Há qualquer coisa de estranho, que os portugueses parecem abraçar sem investigar. Se este movimento é o que parece há primeira vista, porque é que não tem quase ninguém na Holanda? O movimento praticamente desapareceu a seguir à segunda guerra mundial — o que pode ser bom, ou mau sinal
History of the Grail Movement
Porque é que os portugueses se haviam de reunir em volta de um símbolo como este
, com tanta História que temos…? Foi apenas um padre jesuíta que reuniu mulheres activamente. Provavelmente tiveram ainda associados com o Nazismo e o Fascismo em Itália, embora talvez maioritariamente sem saberem ao que estavam associadas, como então era normal. Talvez haja mais por de trás disso — como é frequentemente mencionado o facto dos Nazis pertencerem a grupos (ou um grupo ?), ocupados com esoterismo. Possivelmente é por isso que têm esse nome, e  um lado da história é agora calado. Pode muito bem ser que tenham sofrido opressão dos nazis, não sei… sei que isto é estranho.

“The Grail was started in 1921 as the Women of Nazareth by Fr Jacques van Ginneken, a Dutch Jesuit. He felt that many new possibilities were opening up for women and that a group of lay women, unconfined by convent walls and rules, could make an immense contribution to the transformation of the world. ”
Aqui na Holanda, quase desapareceram…. Qual a motivação de manter este nome como um “movimento internacional?”
Há qualquer coisa escondida, aqui. Portugal não é a Holanda, onde um grupo destes, estaria mais activo e seria muito mais conhecido, se fosse o que os portugueses pensam que ele é.
Enfim para saber mais deveria ir à Biblioteca investigar. E para isso não tenho tempo.

Porquê que os portugueses — ou melhor, as mulheres portuguesas, não fazem algo com a sua própria história e tradição? De si próprias?
Porque é que têm que se basear num “movimento” por ventura quase fictício, que lhes deu a sensação de pertencer a algo de “real”, já existente? Receberam dinheiro da Holanda?
Chegou  a Portugal em 1957? (Comigo? lol )

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s